LOUCOS DA PRAÇA DA REPÚBLICA * Coletânea ANE 1992 * Antonio Cabral Filho - RJ

                                                 LOUCOS DA PRAÇA DA REPÚBLICA
*
DELES AS PALAVRAS SALTAM
             DIRETAS SEM MEDO SEM RODEIOS
                               E VÃO FLUINDO VULCANICAMENTE.
UM REDEMOINHO DE SENSAÇÕES
            AFLIGE DIFERENÇAS E INDIFERENÇAS
                               E TUDO PARECE CONFLUIR EM TORNO DELES.
NÃO RECONHECEM A ARTE DE INVENTAR HISTÓRIAS
            QUE FALAM DE UM MUNDO REAL
                               SEM ALEGORIAS NEM VÃS GLÓRIAS,
MESMO QUE POR ORA POSSAM CHOCAR.
AOS POUCOS VÃO CONSTRUINDO UM FIO DA MEADA,
             VÃO DANDO FORMA AO OUTRORA APENAS LOUCO.
SUAS INQUIETUDES FAZEM-NOS DESCOBRIR TUDO AO SEU REDOR
             E ATÉ ACHAR TUDO ISSO MUITO NORMAL:
O RELÓGIO QUEBRADO E SEM PONTEIROS,
             A RODA DE LOUCOS ENTRETIDOS NO CENTRO DA PRAÇA,
                              A MULTIDÃO APRESSADA QUE SEGUE SEM RUMO
E TUDO ISSO INTERLIGADO PELO ÚNICO ELO POSSÍVEL
            NESTE TEMPO DE PRESSA:
                               O IMPERATIVO VERBO IGNORAR.
***

Exibições: 27

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede de Jovens Comunicadores do Semiárido Mineiro para adicionar comentários!

Entrar em Rede de Jovens Comunicadores do Semiárido Mineiro

Este deve ser um espaço de interação e troca de experiências entre os participantes da Rede de Jovens Comunicadores do Semi-árido Mineiro.

© 2017   Criado por Oficina de Imagens.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço